Homenagem ao dia das Mães.

Poema - MÃE
de Carlos Alberto Caldeira


Do teu ventre sagrado brota a vida
Como do chão abençoado nasce a flor
O teu peito bendito sustenta a vida
Como a chuva purificada alimenta a flor


Jóia rara, preciosa, mulher destemida
Anjo guardião, protetor do nosso lar
Sopro de bonança nas agruras da vida
Luz do amanhecer, raio prateado de luar


Neste domingo, M.., para te homenagear
Quero aromas...fragrâncias... olores...
Pedirei ao outono que acorde a primavera
Para que as mais lindas e perfumadas flores
Refloresçam pelos caminhos, onde haverás de passar

À minha mãe, que na Santa Glória descansa
A quem vejo além do firmamento estrelado
Rogo que abençoe esta tua eterna criança

Sinto a tua presença em noite de angústia minha
Sinto a tua presença no orvalho que cai na vidraça
Sinto a tua presença na Ave-Maria, cheia de graça
Sinto a tua presença no sorriso do ser que caminha
Sinto a tua presença na mulher que me abraça.

Poema de autoria de Carlos Alberto Caldeira - Carmo da Cachoeira - Minas Gerais.

Próximo texto:

Comentários

amigo oculto. disse…
Linda, linda!
Anônimo disse…
Eu conheço esse poeta. Ele é iluminado. Tem um português exemplar. Parabéns, meu amigo Carlos Alberto. Essa foi demais.
Anônimo disse…
¡Muchas gracias Carlos por compartir conmigo tu hermoso trabajo!
Agradezco a Dios la oportunidad de haber conocido personas tan sensibles y valiosas como tú.
Desde mi México con enorme nostalgia de mi Brasil les mando un fuerte abrazo a ti y a tu linda familia esperando que se encuentren tan bien como se lo pido al señor.

Doris
Carlos Alberto disse…
O comentário acima é de uma pessoa muito querida por toda minha família.Doris. Foi minha professora de Espanhol. É muito carismática e um ser humano extraordinário.Gracias mi amiga de alma.
Carlos Alberto disse…
Corrigindo: "amiga del alma"

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.