Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

A casa de Custódio Villela Palmeira.

A família cujo tronco remonta o ano de 1753, com André Villela de Cerqueira. Tem na casa de Custódio Villela Palmeira, que ficava na praça do Carmo, onde hoje se encontra o Banco Itaú, um monumento que lembrava o Dr. Custódio, nascido em 1829 e juiz de paz de Carmo da Cachoeira a partir de 1870. Filho de João Villela Fialho (1861) e Mariana Rosa de Moraes, era irmão do também João Villela Fialho, e foi casado com Jacinta Ponciana de Rezende, filha de Alexandre Gomes Branquinho, nascido em 1794 e Ana Emída de Rezende, neta de Joaquim Fernandes Ribeiro de Resende e Jacinta Ponciana Branquinho, da fazenda das Abelhas.


Comentários

Anônimo disse…
Errata. Tipo de erro: Conceitual: O Custódio em referência, pelo que temos notícia não era bacharesl em direito. A figura de Juiz de Paz não requeria tal titulação.
Anônimo disse…
A casa ficou registrada na memória coletiva como "O SOLAR DOS VILELAS", do qual os descendentes da familia, ainda hoje moradores em Cachoeira, tem o maior orgulho. Exemplo concreto desta postura está no trabalho que o DUDU realizou e postou neste blog "A Fazenda das Abelhas". Aí ele chamou a atenção da propriedade, pincando-a para o artigo.O Projeto Partilha engrandece-se por poder resgatar, registrar através da arte e partilhar esta memória da cidade, como sinal de gratidão aos nossos, aos antepassados.

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.