Tabela Cronológica 16 - Carmo da Cachoeira


1870

ü Lançamento do Manifesto Republicano;

ü Lavras se tornou comarca; e

ü assumiu como juiz de paz em Carmo da Cachoeira, o Dr. Custódio Villela Palmeira.

1870 a 1930

- Ciclo do Café -

1871

ü 28/Abril – Morreu Maria Teresa Villela, viúva de Francisco Inácio de Souza. Em seu inventário, Rita Vitalina pede para ser substituída como inventariante de Maria Teresa por Inácio Lopes Guimarães fazendeiro estabelecido em Carmo da Cachoeira, ou na sua recusa que apontava um segundo nome para substituí-lo: Francisco de Assis de Souza. (Lavras, arquivo CEMEC.cx 171);

ü 28/Set – Lei 2.040: Lei do Ventre Livre, proposto pelo visconde do Rio Branco; e

ü 19/Nov até 3/9/1873 – paroquiato do Padre Baltazar Corrêa Simões de Barros em Carmo da Cachoeira.

1873

1873-1878 – construção de Escola Pública em Carmo da Cachoeira.

ü 14/Jul – divisão das fazendas no espolio de Martinho e Mariana. João Alves Gouvêa, o Barão de Lavras passou a ser o único proprietário da fazenda Chamusca, dos Comuns e Cachoeira, e entraram também no formal as fazendas Formiga e Maranhão. (Originalmente a fazenda Chamusca de Martinho Dias de Gouvêa casado com Dona Mariana Clara Vilela, antes da divisão das terras a fazenda Chamusca pertenceu temporariamente a Gabriel José Junqueira Júnior, através de sua mulher Dona Marianna Alves de Gouvêa. Existem muitos herdeiros como sócios, foram divididos 3989 alqueires, entre campos, culturas e matos avaliados em 202:370$000, correspondentes a fazenda Chamusca Campo dos Comuns, Cachoeira, Formiga e Maranhão em Lavras);

ü 21/Jul – fazenda Cachoeira passou parcialmente às mãos de Maria Ribeiro, através do inventário de Francisco de Andrade Junqueira;

ü 3/Set – sepultado no cemitério paroquial o vigário da paróquia, Padre Baltazar Corrêa de Barros;

ü 7/Set até 8/Nov – paroquiato do Padre Joaquim Antônio de Rezende em Carmo da Cachoeira;

ü 22/Nov a 14/Fev/1875 – assumiu a paróquia o Cônego Augusto Leão Quartim;

ü O inventário de Domingos Marcelino dos Reis tem como inventariante Felícia Constância de Figueiredo moradora na fazenda da Serra, distrito de Carmo da Cachoeira; tendo como louvado tenente-coronel José Fernandes Avelino. (Arquivo do CEMEC na cx 177);

ü Lei Provincial n°2001: cria a Freguesia de Carmo das Luminárias, tendo como limite: o distrito de Três Corações, Serrote e a capela de São Bento; citando também a Barra do Ribeirão “Prepetinga”, a Barra do “Capão Redondo” e Córrego da “fazenda do Rancho”, entre outras em outros quadrantes;

ü o território pertencente à freguesia de Três Corações foi incorporado como vila;

ü epidemia de bexiga na cidade de Carmo da Cachoeira, dizimando 200 pessoas e causando a fuga da área urbana;

ü reformada a primeira igreja de Carmo da Cachoeira, no paroquiato dos reverendíssimos Padres Joaquim Antônio de Rezende e Cônego Augusto Leão Quartim. O diretor de obras foi Severino Ribeiro de Resende;

ü recenseamento da população das paróquias Sul- Mineiras: Cachoeira 5410 almas; Varginha, 7195; Três Pontas 10770; Lavras 11327; e

ü a população escrava de Minas Gerais era de 381.893 negros.

1875

ü 4/Jan – foi lançado o primeiro número do Jornal A Província de São Paulo, hoje O Estado de S. Paulo; e

ü 18/Abr até 3/Abr/1900 – paroquiato do Padre Antônio Joaquim da Fonseca.

1876

10/Mar – Graham Bell inventou o telefone.

1877

Possivelmente a criação da primeira escola, ainda na antiga casa dos Rates.

1878

ü 25/Abr – formação da “Meza Parochial” na Igreja Matriz de Carmo da Cachoeira: o juiz de paz em exercício Severino Ribeiro de Rezende, o juiz de paz mais votado José Fernandes Avelino e o vigário Antônio Joaquim da Fonseca.

ü 28/Abr – Francisco de Paula Cândido aparecia como secretário na formação da “Meza Parochial”;

ü 30/Mai – a presidência da “Meza Parochial” estava com João Alves de Gouveia, o barão de Lavras; e

ü Thomas Alva Edson inventou a lâmpada elétrica.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.