Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Os irmãos Manoel e Antônio André Rates.

A belíssima revistaMais que aventuras , emoções” traz além de belíssimas imagens e alguns trechos interessantes da história mineira, como este a respeito da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição.

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição é um dos mais importantes templos mineiros.
Localiza-se na Praça Monsenhor Mendes. Construída em madeira, taipa e pedra, a Igreja apresenta elementos raros da arquitetura mineira e um dos mais impressionantes conjuntos de talha. Sua construção teve início antes de 1738, quando a Irmandade de São Gonçalo contratou o mestre carpinteiro português, Manoel Fernandes Pontes. Com a morte de Manoel, em 1743, a responsabilidade pela construção ficou por conta dos novos contratados, os irmãos Manoel Roiz Rates e Antônio André Rates.
De acordo com registros históricos, a obra foi entregue formalmente em 1748, inacabada. Os altares laterais da nave são da primeira metade do século XVIII. No interior da Igreja, podem-se identificar as diversas fases dos trabalhos ornamentais e da sua construção. O altar-mor é em estilo D. João V. Alguns nomes ilustres trabalharam como entalhadores na obra: Antônio Francisco Lisboa (nos retábulos de São Gonçalo, São Miguel e Almas), Manoel Fernandes Pontes, Francisco de Faria Xavier, Manuel Gonçalves Valente, Manoel Rabelo, Manoel Pinto Lopes, Felício Pereira, Francisco Vieira Servas e Martins Gonçalves Ferreira. A autoria das pinturas do arco cruzeiro ainda não foi decifrada pelos estudiosos, com pistas que indicam uma provável estada do Mestre Ataíde em Catas Altas, no ano de 1823.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.