A fazenda com engenho de cana.

A fazenda Taquaral também era citada em alguns documento como sendo a "fazenda com Engelho de Cana". Lá é que meus pais viviam e ao qual o pessoal se referia como "viviam em seu engenho em Carmo da Cachoeira". Era a Fazenda de meus avós, Maria Balbina e João Vilela. É esta a forma encontrada pela Maria do Omar para nos explicar sobre sua família e sobre as fazendas que surgiram da subdivisão da fazenda Boa Vista. Maria do Omar conhecida dos cachoirenses é a Maria de Lourdes de Oliveira. Octogenária, porém muito lúcida, diz ser filha de João Villela Fialho e Teodolinda Eulália Vilela e faz questão de esclarecer o que sabe sobre o nome que seu pai leva. Diz ela: "Vocês não devem confundir esse meu pai, com outro do mesmo nome e que morou na "fazenda dos Pinheiros" ". Aquele era tio de meu pai e foi casado com Maria Vitória Rezende, que muitos chamavam de Maria Vitória Branquinho, filha de Alexandre Gomes Branquinho e Ana Emídia de Resende. Tinha um outro João Vilela Fialho, lá de Boa Esperança. Isso pelos anos de 1791 e que foi casada com Mariana Rosa de Moraes, que a família conhecia como Maria Roxa, filha de Leonarda Maria de Moraes. O João Vilela Fialho da "fazenda dos Pinheiros", é pai de João Thomás de Aquino, um dos mais velhos que ouvi falar da família do Jorge Fernando Vilela. Moravam na "fazenda da Laje". Sou neta pelo lado materno de Áurea Eulália de Oliveira (ou Vilela) e João Rezende Vilela e pelo lado paterno de Maria Balbina Vilela e João Vilela Rezende. Vocês não devem estranhar o nome de meus dois avós. Os dois eram João. Os dois tinha "Rezende" e "Vilela", só que de forma invertida. Não é engano meu, é assim mesmo.

Comentários

Glarea disse…
Conhecemos e amamos a Maria do Omar.
Projeto Partilha disse…
Errata. Tipo de erro: digitação. Leia-se Oliveira e não como está grafado no sobrenome de Maria(...)

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.