Um cachoeirense na Atchim!

O cachoeirense Wanderdei Theo Boschila, colunista da hilariante revista Atchim. pelo menos o foi no número um da revista, prestigiou este blog ao indicar a sua tia Marília, autora da poesia, "Retrato de minha terra", a leitura de nossa matéria "Um amigo de todas as horas!"



Poesia de autoria:
Marília de Lourdes Rezende Bittencourt
Interpretação: Fernanda Aparecida Oliveira Pereira
Gravação: DjCia
Edição:
TS Bovaris
Patrocínio:
http://www.carmodacachoeira.blogspot.com/
GAPA - Grupo de Apoio e Proteção aos Animais

Comentários

Anônimo disse…
Parabéns Carmo da Cachoeira. Teus filhos em terras distantes em busca de meio de vida, suspiram por ti todo instante, oh minha terra querida É o hino. E o que ocorre. Parabéns Wanderley pelo envolvimento com seus antepassados. Prof. Wanderley, o guardião de nossa história, foi assim que li entre nos comentários de blogspot. Aliás, ele arrumou um amigo, o Jorge Vilela. Dupla para ninguém botar defeito. Patronos da memória de Cachoeira.
Anônimo disse…
Alguém pensou que Cachoeira é qualquer coisa? Errou redondamente. O pessoal lá de fora tá de olho.
Anônimo disse…
O que? Não acredito.
Anônimo disse…
Aqui. Pra quem não sabe, a prof. Marília é filha do Wandico, epa, do Wanderley Ferreira de Rezende.
Anônimo disse…
Wanderley. A prof. Marilia tem uma faixa no CD a ser lançado brevemente pela Paróquia de Nossa Senhora do Carmo. É uma das mais significativas. Ela já está com a cópia de pré-lançamento. A interprete é uma menina que a chama de avó, sabia? A Fernanda traduziu através de sua voz, o amor por Cachoeira. Aquele, presente em seu pequeno coração, no da autora autora e sobretudo no do nosso querido prof., o amigo de todas as horas - Wanderley Ferreira de Rezende. A faixa irradia puro amor a Cachoeira. A mensagem é contagiante.
Anônimo disse…
Uaí, e o Wanderley não vai dar uma forcinha daí? Lembranças do passado, reminiscências de fundo cultural?
Anônimo disse…
Wanderley, o mesmo nome de minha escola. Será que é parente do patrono?
Anônimo disse…
É voluntário que não acaba mais. Não sei o que esta cidade tem que aqui não tem.
Anônimo disse…
Este blog passou a leitura de meu jornal diário para traz. Parabéns Pe André, TS Bovaris, Jorge Vilela, Paulo Campos e agora, Wanderley.
Anônimo disse…
Se é de Cachoeira é bom. Não importa se querem dizer o contrário. Deve ser despeito. É Cachoeirense é bom, se não for bom, a sociedade indica os meios de corrigir e botar no trilho. Na dor ou no amor, o cachoeirense vai mostrar sua verdadeira cara. Filho do PARAÍSO.

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.

A organização do quilombo.