Um cachoeirense na Atchim!

O cachoeirense Wanderdei Theo Boschila, colunista da hilariante revista Atchim. pelo menos o foi no número um da revista, prestigiou este blog ao indicar a sua tia Marília, autora da poesia, "Retrato de minha terra", a leitura de nossa matéria "Um amigo de todas as horas!"



Poesia de autoria:
Marília de Lourdes Rezende Bittencourt
Interpretação: Fernanda Aparecida Oliveira Pereira
Gravação: DjCia
Edição:
TS Bovaris
Patrocínio:
http://www.carmodacachoeira.blogspot.com/
GAPA - Grupo de Apoio e Proteção aos Animais

Comentários

Monteiro de Queiroz disse…
Parabéns Carmo da Cachoeira. Teus filhos em terras distantes em busca de meio de vida, suspiram por ti todo instante, oh minha terra querida É o hino. E o que ocorre. Parabéns Wanderley pelo envolvimento com seus antepassados. Prof. Wanderley, o guardião de nossa história, foi assim que li entre nos comentários de blogspot. Aliás, ele arrumou um amigo, o Jorge Vilela. Dupla para ninguém botar defeito. Patronos da memória de Cachoeira.
João Roberto disse…
Alguém pensou que Cachoeira é qualquer coisa? Errou redondamente. O pessoal lá de fora tá de olho.
Yasmim disse…
O que? Não acredito.
Teresa disse…
Aqui. Pra quem não sabe, a prof. Marília é filha do Wandico, epa, do Wanderley Ferreira de Rezende.
leonor disse…
Wanderley. A prof. Marilia tem uma faixa no CD a ser lançado brevemente pela Paróquia de Nossa Senhora do Carmo. É uma das mais significativas. Ela já está com a cópia de pré-lançamento. A interprete é uma menina que a chama de avó, sabia? A Fernanda traduziu através de sua voz, o amor por Cachoeira. Aquele, presente em seu pequeno coração, no da autora autora e sobretudo no do nosso querido prof., o amigo de todas as horas - Wanderley Ferreira de Rezende. A faixa irradia puro amor a Cachoeira. A mensagem é contagiante.
Lopes Garcia disse…
Uaí, e o Wanderley não vai dar uma forcinha daí? Lembranças do passado, reminiscências de fundo cultural?
turminha disse…
Wanderley, o mesmo nome de minha escola. Será que é parente do patrono?
Ilhéus disse…
É voluntário que não acaba mais. Não sei o que esta cidade tem que aqui não tem.
capixaba disse…
Este blog passou a leitura de meu jornal diário para traz. Parabéns Pe André, TS Bovaris, Jorge Vilela, Paulo Campos e agora, Wanderley.
educador em ação disse…
Se é de Cachoeira é bom. Não importa se querem dizer o contrário. Deve ser despeito. É Cachoeirense é bom, se não for bom, a sociedade indica os meios de corrigir e botar no trilho. Na dor ou no amor, o cachoeirense vai mostrar sua verdadeira cara. Filho do PARAÍSO.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.