Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Carmo da Cachoeira em Foco


Classe na comemoração - Músicas centenárias
Texto de Lucas Magalhães e foto de Lucas Magalhães

Carmo da Cachoeira – O município que já pertenceu a três outras cidades da região, na noite de vento ameno do dia 17 de dezembro, se rendeu à música erudita do recital de piano e canto. Os muitos ouvidos atentos puderam apreciar, com a ajuda do silêncio da Matriz de Nossa Senhora do Carmo, canções de compositores mundialmente conhecidos como Bach, Handel, Giuseppe Giordani e outros. A cidade pôde mostrar, que ao lado de seus pontos mais bonitos, como o rio Couro do Cervo, a floresta típica do maciço da Mantiqueira e as cachoeiras do Pai Paulo e do Ribeirão do Carmo, está também o talento de seu povo, mostrado na performance do pianista Francis Vilela, e das cantoras Maisa Nascimento e Larissa Amaral.
O concerto durou 1 hora e meia, e ao final, o público aplaudiu de pé, aquilo que para muitos, era uma “novidade”.
Francis Vilela afirma, “embora em suas épocas todos os compositores eruditos fossem populares, hoje o que se vê é um preconceito sobre eles, tal qual uma música popular de qualidade tem sua beleza as clássicas também tem, a diferença está na foram de cantar, na qualidade harmônica e melódica”.
Para ele, “é importante que o povo conheça esse tipo de música para que ela realmente tenha seu espaço e valor”. Segundo Francis, a mídia nacional não tem interesse em divulgar música clássica, mas o país tem compositores de alto nível como Ronaldo Miranda e os já falecidos, Heitor Villa-Lobos e Waldemar Henrique. O evento faz parte da comemoração dos 150 da cidade.
Carmo da Cachoeira é premiada em Brasília

O município recebeu o prêmio dado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, por sua adesão e desempenho ao Sistema Único de Assistência Social, que visa a busca de melhoria na qualidade de vida de sua população.

Comentários

Anônimo disse…
Carmo da Cachoeira, quem diria? Quem te conhece não esquece JAMAIS. Te amo, Cachoeira.
Anônimo disse…
Já virou rotina para mim. Todas as manhãs visito este blog. Cachoeira, Cachoeira... ... nós a amamos.a

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.