Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior. "Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG. Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entr

São Pedro de Rates, e a jovem pagã.

São Pedro de Rates foi o primeiro bispo de Braga, entre os anos de 45 e 60 da Era Cristã. Segundo conta a lenda, o apóstolo Santiago, que teria vindo à península Ibérica da Terra Santa no ano 44 d.C., ao passar pela serra de Rates, no atual conselho da Póvoa de Varzim, teria ordenado Pedro de Rates como bispo de Braga.

São Pedro de Rates foi decapitado durante uma missa. O motivo teria sido as tentativas de conversão de crentes da religião romana à fé cristã, mas existe outra versão que diz que ele teria salvado uma jovem princesa pagã; esta, ao se converter, fizera votos de castidade, e seu pai furioso teria mandado matar o bispo.

Séculos mais tarde São Felix, o eremita, retirou-se para o maior monte da serra de Rates na Póvoa de Varzim. Lá, todas as noites observava uma luz na escuridão a partir do monte; curioso, foi à fonte da luz e descobriu o corpo de São Pedro de Rates.

O corpo teria dado origem à Igreja de São Pedro de Rates e esteve lá sepultado até 1552; neste ano o corpo foi transferido para Braga.

Nas freguesias de Balasar e Rates existem duas fontes a que o povo atribui poderes milagrosos, conferindo estes poderes a São Pedro de Rates. “A população local vive essencialmente da agricultura e dispersa-se por vários lugares, entre eles o denominado ‘Casal’. Na aldeia do Casal está a fonte em que São Pedro de Rates estava de joelhos, bebendo, quando os tiranos vieram atrás dele, de Braga, para o matarem, e foi Deus servido de seus santos joelhos. Vêm a esta fonte muitos enfermos de maleitas e, bebendo dela, voltam livres dos achaques. 1

Seu dia é comemorado em 26 de abril. As origens do templo antecedem a nacionalidade.


1 – Padre Carvalho da Costa, Corografia Portuguesa, início do século XVIII, descreve a fonte num lugar da freguesia de Balasar: no conselho da Póvoa de Varzim.

Comentários

Anônimo disse…
Nunca mais vou falar com pouco caso dos Rates. Rates é história séria. Vou até buscar mais informação.
Anônimo disse…
Gente. Como este sobrenome é antigo!!! Como será que este povo veio parar aqui?
Anônimo disse…
vejo se eu gosto.
Anônimo disse…
... no altar privilegiado de Sam Pedro de Rates, um cara de nome Martinho Gonçalves, do lugar de Rial, lá da freguesia que deve se Portugal, de Sam Julião de Tabuacas, pai de Bento Gonçalves, deixou em testamento para ser reda "cento e sincoenta e duas missas", isso no século 17.
Anônimo disse…
Martinho Gonçalves era mesmo devoto de São Pedro de Rates. Quanta missa... ... ...

Postagens mais visitadas deste blog

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

As três ilhôas de José Guimarães.

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.